A terceira edição do Colóquio Milton Santos na Universidade Federal da Bahia (UFBA) tem como tema “Cultura Local, Mercado Global” e acontece nos próximos dias 6 e 7 de junho (segunda e terça). Este ano a atividade lembra o pensamento e registra os 10 anos da morte do único intelectual brasileiro ganhador do “Nobel” da Geografia. Várias outras atividades, no Brasil e mesmo no exterior, devem ocorrer a partir de junho, mês de sua morte.

O ato solene que instalará o Colóquio – aberto ao público – acontece no Salão Nobre da Reitoria, a partir das 18h30 do dia 6, com apresentação do Madrigal da UFBA. As mesas-redondas na manhã do dia 7 serão transmitidas para todas as regiões da Bahia por videoconferência. Mas não tenho notícia se será também transmitido via internet (no próprio site da UFBA não tem informação fácil sobre o evento).

A organização do evento destaca que o objetivo é envolver professores das redes públicas estadual e municipal com a discussão sobre as contribuições do geógrafo para as ciências e o conhecimento. Haverá ainda Grupos de Trabalho (GTs) na tarde do mesmo dia 7, dessa vez nas instalações da Faculdade de Comunicação em Ondina.

Milton Santos escreveu mais de 40 livros, foi professor da UFBA, da USP e de várias universidades na Europa, América Latina, Estados Unidos, Canadá, na África e mesmo no Japão. O Prêmio Vautrin Lud, considerado o “Nobel” da área, foi-lhe agraciado na França, como distinção feita ao primeiro intelectual do hemisfério sul e do mundo não-anglo-saxão, em 1991.

Outras informações aqui, ou pelo telefone (71) 3283-6176.