Hoje eu consegui uma conjunção de planetas. Devia estar lá escrito no meu signo que eu sairia hoje de manhã de casa com um celular nº 1 descarregando e sem o carregador dele. Olhei quando acordei mas pensei: deixa. Se um não tinha bateria eu usava o outro. Mas percebi só após sair de casa que o celular nº 2 repetia irredutível: somente emergência.

Nada de pânico! Entrei no site da operadora, liguei pro atendimento, em vão. Depois de sei lá quantos anos usando celular, parece que pela primeira vez na vida o meu chip queimou, segundo a pessoa que falou comigo. Resignado, fui na revenda e paguei R$ 10 pelo novo com o mesmo número – no fundo achando que eles deviam me pagar R$ 10 por ter perdido meu horário de almoço, pago ônibus pra ir e taxi pra voltar.

Nada de aborrecimentos! Coloco o bunitim no meu celular e, apressado, trato de ligar o aparelho. Mas a pessoa sem coração, vendo minha pressa, se apressa em dizer que o sistema funciona de “2 a 24 horas”. Com a cara péssima, saí da loja com um “boa tarde e bom feriado”, pensando que só me falta ficar sem celular mais 24 horas pra completar esse trânsito astrológico ótimo.

Daqui a 10 minutos completam as 2 primeiras horas, mas já me sinto impotente, aguardando até amanhã de manhã pra conseguir a primeira chamada. Pior é que tenho aquela impressão fixa de que não é o chip, sabe? O mais grave e importante, no entanto, é perceber que tenho dependência disso. Meu celular não bomba, não toca mais de 5 vezes durante o dia, não faço ligações duradouras. Mas é ruim pensar que pode ter alguém querendo falar com você, vê se pode!?